Escutar os gritos dos migrantes

Não podemos ser cúmplices silenciosos do fenômeno mafioso que envolve o tráfico de pessoas. E muito menos protagonistas, embora indiretos. Diante daqueles que vivem do infortúnio dos outros e se aproveitam de seu desespero, trabalhemos para superar as desigualdades que favorecem a uma pessoa escravizar a outra.

Da Igreja e do Papa