"Uma oração para você rezar e pedir o que quiser"

Trago neste relato como foi a primeira vez que ouvi falar no nome do Bispo Álvaro del Portillo.

Opus Dei - "Uma oração para você rezar e pedir o que quiser"

No dia 21 de maio de 2017 (domingo), eu estava em casa, quando recebi pelo celular uma mensagem de minha filha (uma jovem de 23 anos), que retornava de um passeio que fizera a uma praia com amigos, me dizendo que estava indo a um hospital de emergência, pois estava sentindo dores de garganta.

Na ocasião, tanto eu quanto ela já nos sentíamos extremamente fragilizadas e angustiadas, em face das inúmeras recorrências de crises de amigdalites e faringites que ela já apresentara naquele ano. Entre os meses de março e maio, ela já tinha adoecido pelo menos umas seis vezes, com crises fortes, nas quais precisava fazer uso de antibióticos, corticoides e anti-inflamatórios.

Em resposta a mensagem que ela me enviara, eu disse a ela que iria à missa, rezar em intenção da recuperação da saúde dela. Assim que cheguei na Igreja (Paróquia de São Vicente em Fortaleza), fui rezar na capela do Santíssimo.

Logo que me ajoelhei, uma garota portadora de Síndrome de Down, sentou-se na minha frente, perguntou meu nome, abriu uma pequena bolsa e retirou um papel, o que parecia ser um “santinho” – uma estampa de Dom Álvaro –, e me entregou dizendo: “Marta, vou te dar uma oração para você rezar e pedir o que quiser, emprego ou saúde, que você conseguirá”. Disse-me seu nome e me pediu que a colocasse em minhas orações. Tão logo eu a agradeci, ela se retirou. Naquele momento, eu fiquei muito emocionada, senti uma grande vontade de chorar, lembrei-me imediatamente de meu pai já falecido, e de um padre italiano, meu amigo (também falecido).

Tive a certeza que aquilo não era só uma coincidência, e que aquela garota não entrara por acaso na capela. Era um sinal de uma graça que eu alcançaria. Passei a orar e pedir a Dom Álvaro pela saúde de minha filha. O fato é que, de junho a dezembro de 2017, as infecções diminuíram consideravelmente, tendo uma recorrência em julho e outra em novembro.

M. M., 22-II-2018, Brasil