Cem africanas receberão bolsas de estudos graças à beatificação de Guadalupe

A beatificação de Guadalupe Ortiz de Landázuri será presidida no próximo 18 de maio em Madri pelo Cardeal Angelo Becchiu, prefeito da Congregação para as causas dos Santos.

Comunicados para imprensa e declarações
Opus Dei - Cem africanas receberão bolsas de estudos graças à beatificação de Guadalupe

Uma centena de mulheres africanas terá acesso a bolsas de pesquisa em universidades espanholas e africanas graças às doações arrecadadas na beatificação da química madrilena do Opus Dei Guadalupe Ortiz de Landázuri, que subirá aos altares no próximo 18 de maio.

As bolsas serão concedidas em dez anos através do projeto ‘Bolsas Guadalupe’ da ONG Harambee, e pretendem promover a liderança de mulheres africanas na pesquisa científica a fim de serem capazes de incentivar e impulsionar centros de pesquisa em seus próprios países, segundo explicou Raquel Rodriguez, de Harambee Espanha.

A responsável do comitê internacional encarregado da beatificação, Mónica Herrero, explicou que este evento tem uma dimensão solidária, de acordo com o compromisso social presente em várias etapas da vida de Ortiz de Landázuri no México e na Espanha. Herrero lembrou que Ortiz de Landázuri foi “uma pessoa normal da diocese de Madri, nascida no bairro de Malasaña, que pertencia ao Opus Dei e com uma vida corrente, que se tornou santa nas suas tarefas cotidianas, e que levou o espírito cristão tanto aos mais desfavorecidos como aos seus iguais, através do seu trabalho como professora de química”. Sua biografia enlaça, portanto, como o modelo dos “santos da porta ao lado” que propõe o Papa Francisco na sua exortação apostólica Gaudete et Exsultate.

Pioneira em seu tempo

A futura bem-aventurada se destacou, além disso, por ser uma mulher pioneira para o seu tempo, uma das primeiras mulheres que estudou ciências na Universidade espanhola nos anos em que a presença feminina nas salas de aula era muito reduzida, e que aspirou e obteve o grau de doutora, graças, precisamente, a uma bolsa outorgada pelo Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC).

Além disso, começou o trabalho evangelizador do Opus Dei no México e pôs em andamento em Madri o Colegio Mayor Zurbarán, a primeira residência universitário para mulheres promovida pelo Opus Dei no mundo. Guadalupe Ortiz de Landázuri será também a primeira fiel leiga do Opus Dei que subirá aos altares, o que suscitou interesse em fiéis do mundo todo, muitos dos quais não poderão viajar a Espanha para assistir à cerimônia. Por isso, um dos eixos em que trabalha o comitê internacional é o digital. “As tecnologias permitem a participação de pessoas de todos os continentes”, sublinhou Herrero.

Roda de imprensa sobre a beatificação de Guadalupe

Neste sentido, a responsável de Comunicação da beatificação, Carmen García Herrería, enumerou uma série de canais habilitados para facilitar a participação, como a transmissão na televisão e streaming, o sistema de mensagens através de Whatsapp, o site www.guadalupe19.org e a newsletter semanal, uma app e um documentário multimídia ou uma série de produtos disponíveis na internet como cartazes, painéis expositivos, uma biografia infantil ou um caderno com pesquisas sobre a química que Guadalupe desenvolveu.

Química e vida espiritual

No site do Opus Dei pode-se baixar o livro “Cartas para um santo”, com fragmentos das 350 cartas escritas por Guadalupe Ortiz de Landázuri a são Josemaria. “O epistolário de uma pessoa é a abertura da sua interioridade; o conjunto dessas cartas mostra as virtudes e o seu caráter alegre”, explicou o postulador diocesano da causa de beatificação, José Carlos Martín de la Hoz.

Ortiz de Landázuri chegou à santidade, segundo o postulador, “como uma pessoa que encontrou a intimidade com Jesus Cristo no seu trabalho cotidiano e contagiou esse amor no seu próprio ambiente”.

O Comitê já organizou numerosos encontros e atividades para dar a conhecer a figura da futura beata em diferentes cidades da Espanha e em alguns pontos dos países onde ela viveu, como México ou Roma.

Entre os atos celebrados em Madri destaca um colóquio no Colégio de Químicos no passado 5 de março, a modo de homenagem dos seus colegas de profissão, e outro similar previsto para o próximo 24 de abril na Faculdade de Química da Universidade Complutense.